30 de jul de 2014

[REVIEW] A Guerra dos Tronos, George R. R. Martin

"Quando Eddard Stark, lorde do castelo de Winterfell, aceita a prestigiada posição de Mão do Rei oferecida pelo velho amigo, o rei Robert Baratheon, não desconfia que sua vida está prestes a ruir em sucessivas tragédias. Sabe-se que Lorde Stark aceitou a proposta porque desconfia que o dono anterior do título fora envenenado pela manipuladora rainha - uma cruel mulher do clã Lannister - e sua intenção é proteger o rei. Mas ter como inimigo os Lannister pode ser fatal: a ambição dessa família pelo poder parece não ter limites e o rei corre grande perigo. Agora, sozinho na corte, Eddard percebe que não só o rei está em apuros, mas também ele e toda sua família."

Guerra dos Tronos é um desses livros que eu disse que muito provavelmente nunca leria. Primeiro porque eu nunca fui muito fã de histórias medievais - até que eu li Prince of Thornes do Mark Lawrence e fiquei facinada por esse tema; segundo porque fui intimidade pelo tamanho da obra (que ainda faz parte de uma série!) e terceiro por a série (tanto a de livros quanto a feita para a tv) ser um sucesso assustador. Porém, depois de ver tanta gente pirando com o seriado e uma grande insistência de amigas para que eu lesse, finalmente me rendi à esse tijolo que chamam de livro - sério, acho que dá pra matar alguém com ele! - e aqui estamos para saber o que eu achei desse primeiro livro de George R. R. Martin.
Bem, deixe eu começar explicando que não sei como explicar a história sem soltar spoilers ou me enrolar toda. Entenda: eu demorei pelo menos umas 200 páginas para entender tudo o que estava acontecendo ali então como é que eu vou explicar pra vocês o começo da história? Fica complicado... ): (risos) Acho que um dos meus maiores problemas com o livro foram que 1) são centenas de personagens e nomes para lembrar e 2) muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo; mas logo você se acostuma e fica tudo mais tranquilo.
Outro "problema" que tive: eu não sei vocês mas eu não tenho um lugar realmente confortável para ler e Guerra dos Tronos é um daqueles livros que são terríveis quanto à isso devido ao tamanho e peso. Pode ser que estava sendo mole mas, se ficava mais de meia hora com ele em mãos, já começava à sentir uma dorzinha no pulso e isso foi extremamente desconfortável até que resolvi ler pelo Kobo Glo - sério, fez uma enorme diferença! Então, essa é uma dica pra quem se identificar comigo.
Mas vamos logo falar sobre o que eu achei: a escrita do George é deliciosa e flui muito bem! A narrativa é feita por vários personagens diferentes, o que significa que podemos saber o que está acontecendo simultaneamente com os outros personagens e isso é ótimo já que Martin criou um grande e rico universo de fantasia. Não sou muito fã de descrições detalhadas e achei isso um pouco cansativo mas elas foram essenciais para que eu conseguisse ambientar perfeitamente a história e isso deu algo à mais ao livro.  Outro ponto interessante é que Guerra dos Tronos é totalmente imprevisível - dúvido até que Sherlock Holmes conseguiria deduzir o que acontece! (risos) - então (se você não acompanha a série ou viu spoilers) George sempre vai nos surpreender, seja matando algum personagem ou uma grande revelação que faz com que todo o rumo da história mude.
Quanto aos personagens eu achei que eles são muito bem construídos e desenvolvidos - preciso fazer uma menção especial a Eddard Stark, meu personagem favorito! Sério, nunca vi tanta honra em um homem só, gente! Daenerys Targaryen é também uma personagem interessantissíma e que, apesar de sua juventude, passa por coisas que fizeram meu queixo cair e que mesmo assim ela seguiu em frente, amadurecendo à cada coisa que acontece na vida dela. Arya Stark é minha personagem mais querida com todo o seu jeito de querer aprender a usar uma espada e sua dedicação. Temos também Tyrion Lanninster, o Duende, que tem as melhores falas no livro e que eu achei simplesmente sensacional - enfim, posso ficar falando de todos os personagens mas isso ficaria enorme! (risos) Não era para eu gostar de nenhum personagem (vocês conhecem a fama do George de matar personagens...) mas é quase impossível não se apegar ao menos em um (no meu caso foram cinco!).
Acho que a maioria das pessoas já sabe mas ainda assim vale à pena ressaltar: Guerra dos Tronos não é um livro para todo mundo, tanto na faixa etária quanto algumas questões de princípios já que trata de alguns temas polêmicos (como por exemplo o incesto) mas, se você não se importa que o livro tenha esse tipo de conteúdo, só posso dizer que o livro é altamente recomendado. Não importa que demorei um mês, três meses, um ano mas leia! (risos)
Finalizo dizendo que George R. R. Martin ganhou mais uma fã e que não vejo a hora de poder ler A Fúria dos Reis!
A Guerra dos Tronos é o primeiro livro da série As Crônicas de Gelo e Fogo de George R. R. Martin e é publicado aqui pela editora LeYa. Adicione o livro no skoob.
OBS: sei que fui bem vaga nessa review mas é quase impossível falar sobre tudo o que achei bacana no livro! (risos) 

26 de jul de 2014

Uma música por dia - Week #12


Minhas aulas já voltaram e eu estou me perguntando como pode três semanas terem passado tão depressa! /o\ Fazer o quê? Vida de vestibulando não é fácil não! (risos) Mas deixa eu ficar quieta aqui e vamos logo para as músicas da semana!

25 de jul de 2014

Nova Edição de PJO + Volume Único de Cidade dos Ossos e Cidade das Cinzas!

Essa semana, a Intrínseca anunciou que vai lançar as novas edições dos livros da série Percy Jackson & Os Olimpianos do Rick Riordan! As ilustrações foram feitas pelo John Rocco - assim como as primeiras - e, se colocadas uma ao lado do outro, formam um painel! O lançamento está previsto para 18 de agosto. Clique na imagem para vê-la maior:

E a Galera Record divulgou ontem o lançamento de um volume único de Cidade dos Ossos e Cidade das Cinzas (volume 1 e 2 da série Instrumentos Mortais) da Cassandra Clare! É uma edição de colecionador (!!!!!!) que vai ter capa dura (!!!!!!) e papel holográfico metalizado (!!!!!!!!) - preciso comentar mais alguma coisa? (risos) O lançamento dessa belezinha está prevista para dia 22 de agosto, na Bienal do Livro São Paulo (#EuVou).


As editoras querem me falir! (risos

24 de jul de 2014

Trailer de 'Love, Rosie'

Alguém lembra quando fiz um post com filmes que quero muito ver no segundo semestre de 2014 e que achei o trailer de Love, Rosie nada haver com a história? Então, esse mês saiu um novo trailer e eu amei demais! (risos) Acho que agora está tudo mais bem explicado e, enfim, não vejo a hora de ver! Confira o trailer:


Love, Rosie tem previsão de lançamento para 6 de novembro.

OBS: SÓ AMOR PELO SAM CLAFLIN!!!!

19 de jul de 2014

Uma música por dia - Week #11

Olá! Julho foi um mês bem turbulento e agora o segundo semestre promete ser ainda pior (vida de vestibulando não é fácil, viu?) mas vamo que vamo! Vocês viram o novo logo da coluna? Estou pensando em fazer alguns diferentes como esse para usar aqui no blog, o que acham? Enfim, vamos para as músicas dessa semana!

18 de jul de 2014

[FILMES] Julho #2

Segunda parte do post com os filmes de julho! Não deixe de conferir a parte um aqui. Acho que todo mundo já reparou que agora a coluna tem um banner, né? (risos) Ainda estou testando mas, enfim, espero que tenha gostado! Mas chega de conversa e vamos logo para os filmes do mês!

O Espetacular Homem-Aranha (2012)

Me julguem: não tinha assistido O Espetacular Homem-Aranha até agora. Não que eu tenha abominado um reboot de Homem-Aranha ou coisa assim - pelo contrário, fiquei bem feliz com a ideia! - mas não senti tanta vontade de ver, mesmo tendo Andrew Garfield e a linda da Emma Stone no elenco. Simplesmente amo o primeiro filme com o Tobey e não fiquei tão confiante se iria gostar do Andrew no papel mas acho que ele teve um bom desenvolvimento e achei sensacional esse lado comédia do Peter. O casal tem uma química deliciosa e acho que é um dos pontos altos do filme, juntamente com os efeitos visuais que são incríveis. Nota: 3/5



Em Busca da Terra do Nunca (2004)

Tem Johnny Depp no filme e isso já bastava para que eu ficasse com vontade de ver (risos). Depois que li Peter Pan, resolvi ir atrás para ver outros filmes relacionados e acabei encontrando Em Busca da Terra do Nunca que nunca havia visto antes. Nesse filme, nós acompanhamos o que seria a origem de Peter Pan, com J.M. Barrie criando essa história magnífica que conquista gerações e gerações. Os efeitos visuais são lindos, tem um elenco sensacional (tem o Freddie Highmore pequenininho, gente!), enfim, precisa ser assistido por todo mundo. Nota: 4/5



Namoro ou Liberdade (2014)

Tem Zac Efron no meio então é claro que vou ter de dar uma chance para o filme! Namoro ou Liberdade é um filme cheio de azaração e clichês com um quê de comédia (sério, ri alto em algumas cenas) mas que peca no exagero de inisinuações sexuais (por mais que tenhamos três caras como protagonistas). Fui ver o filme com uma expectativa baixíssima mas no final, acabei por achar o filme mediano, gostoso de assistir mas nada mais. Nota: 2.5/5



O Clube de Leitura de Jane Austen (2007)

Ora, um filme que fala sobre as obras de Jane Austen? É claro que precisava assistir! Eu adoro a ideia de fazer um clube do livro (participo de um, aliás) e achei muito bacana terem feito isso em um filme. Acredito que os amantes de Austen talvez aproveitem melhor a história por já conhecerem os personagens e enredos citados nas discussões mas isso não impede que os que não conhecem ainda de curtir o filme - pode até incentivar à ler! (risos). É um filme leve, romântico e divertido e vale super à pena conferir (sem contar que temos o lindo do Hugh Dancy no elenco!) Nota: 3/5



Ruby Sparks: A Namorada Perfeita (2012)

Desde que ouvi falar desse filme, fiquei louca para ver! Confesso que ele foi bem diferente do que imaginei mas me surpreendeu muito. Acredito que muita gente vai levar pro lado doentil do personagem principal mas acredito que a história, principalmente, mostra os diferentes tipos de relacionamentos e é simplesmente genial! Só não indico o filme para quem não curte ou "aceita" um pouco de fantasia (vi muita gente reclamando disso por aí) mas super recomendo! Nota: 4.5/5

OBS: dei minhas notas fazendo uma comparação somente entre os filmes desse post! Pode ser que, se fossem outros, eles teriam notas completamente diferentes (:

12 de jul de 2014

Uma música por dia - AVISO

Essa semana foi meio corrida e quase não ouvi música alguma então resolvi não fazer o Uma Música por Dia essa semana! Mas semana que vem (acho que) tudo volta ao normal (:

9 de jul de 2014

[REVIEW] Cidade do Fogo Celestial, Cassandra Clare

Não achei uma imagem da capa brasileira
em boa qualidade ):
"ERCHOMAI, Sebastian disse. Estou chegando. Escuridão retorna ao mundo dos Caçadores de Sombras. Enquanto seu povo se estilhaça, Clary, Jace, Simon e seus amigos devem se unir para lutar com o pior Nephilim que eles já encararam: o próprio irmão de Clary. Ninguém no mundo pode detê-lo — deve a jornada deles para outro mundo ser a resposta? Vidas serão perdidas, amor será sacrificado, e o mundo mudará no sexto e último capítulo da saga Os Instrumentos Mortais."

Sempre fico com uma sensação estranha quando uma série que eu adoro acaba e esse ano ainda tenho mais dois finais para encarar (de Os Heróis do Olimpo do Rick Riordan e da trilogia Sábado à Noite da Babi Dewet) mas essa foi a vez de me despedir de Instrumentos Mortais e eu não poderia ter ficado mais satisfeita e grata à Cassandra Clare.
Logo no inicio do livro ocorre uma grande tragédia que nos apresenta à vários personagens novos: Emma Carstairs e os irmãos Blackthorn; do Instituto de Los Angeles - que, para quem não sabe, Cassandra Clare já anunciou que vai lançar uma nova série no mundo das Sombras (The Dark Artifices) e a história será centrada neles. Achei muito bacana essa introdução para a série e já adorei os personagens novos e não vejo a hora de saber como as coisas vão se desenrolar.
Falando um pouco sobre antigos conhecidos: eu os amei ainda mais nesse livro. Confesso que estava achando Jace bem chatinho desde Cidade dos Anjos Caídos e todo o mimimi e melação do romance dele com Clary mas nesse livro não aconteceu nada disso! Acho que ambos amadureceram muito como casal nesse livro e também individualmente e isso me deixou muito feliz - fora que vemos o "antigo Jace" de volta, com todo seu carisma e jeito que todo mundo se apaixonou. Alec está simplesmente hilário nesse livro (estou morrendo de vontade de falar uma frase dele aqui mas estou me segurando!) e Izzy continua sendo a mesma durona e linda que todo mundo ama. O que dizer sobre Simon? Eu sempre o adorei e, bem, ele com certeza vai surpreender todo mundo nesse livro. E sim, Cassie matou alguns personagens mas claro que não vou revelar quem!
Minha única crítica é que alguns problemas foram resolvidos de maneiras "muito fáceis" para as situações criadas e também quanto a impressão que falhou em vários lugares mas nada que atrapalhasse a leitura.
Cidade do Fogo Celestial atingiu todas as minhas expectativas e acredito que é um final bem satisfatório para a série. Já estou sentindo falta de todos os personagens que tanto me apeguei mas sempre vou poder reler para matar a saudade (risos) - e que venha The Dark Artifices!
Ah! Apenas um conselho: leia As Peças Infernais antes de Cidade do Fogo Celestial! Você irá entender tranquilamente o livro sem ler a trilogia mas acredito que terá um gostinho especial caso conheça a história dos personagens da outra série.
Cidade do Fogo Celestial é o sexto e último livro da série Os Instrumentos Mortais da Cassandra Clare e é publicado pela Galera Record. Adicione o livro no skoob.
OBS: estou lendo Guerra do Tronos agora (muita gente me pressionando pra ler!) então é bem provável que eu demore para postar uma nova review! Mas não se preocupem que vou pensar no que postar no lugar.

7 de jul de 2014

[FILMES] Julho #1

Estou de férias e claro que estou aproveitando para assistir muitos filmes! Ainda estamos no começo do mês mas eu assisti mais de cinco filmes e então eu escolhi dividir em partes para que a postagem não fique tão grande e cansativa! Espero que gostem e, se você não viu o post de junho é só clicar aqui.

Quase Famosos (2000)

Esse é um daqueles filmes que aparentemente "todo mundo já viu menos eu" e eu tinha que fazer algo para mudar isso! Fui assistir ao filme sem nenhuma base sobre a história - a não ser o fato de termos a lindíssima Kate Hudson (no papel de Penny Lane) no elenco - e foi uma agradável surpresa que me deixou morrendo de vontade de fazer uma road trip e virar groupie. (risos) Para quem gosta de música boa com certeza vai curtir demais esse filme e vai sentir super inveja de William Miller (Patrick Fugit), um garoto que com 15 anos está prestes à acompanhar uma banda na turnê pelos Estados Unidos e ainda vai escrever um artigo sobre para a Rolling Stone - preciso dizer mais alguma coisa? Ah! E o filme é semiautobiográfico do diretor Cameron Crowe que também escreveu para a Rolling Stone ainda adolescente e acompanhou parte da turnê da banda Led Zeppelin (!!!). Nota: 4/5


Footloose (1984)

Cut loose, footloose! Kick off your Sunday shoes! Fala sério, quem nunca saiu cantando e dançando essa música? Fazia muito tempo que queria ver Footloose mas fiquei enrolando por um tempão até que resolvi assistir. Acho que desde que fizeram o remake de 2011, tive curiosidade em assistir o original já que vi muita gente criticando a nova versão... enfim, eu esperava um pouco mais do clássico mas não deixa de ser muito divertido! Fora que Kevin Bacon é maravilhoso mas acho que nem preciso dizer isso, certo? (risos) Ah! E ainda tem a lindíssima Sarah Jessica Parker <3 Nota: 3.5/5



A Culpa é das Estrelas (2014)

Eu fiquei com um pé atrás com A Culpa é das Estrelas, mesmo sabendo que John Green esteve por trás do filme. Entenda: eu gostei muito do livro e, depois de algumas experiências meio traumatizantes com adaptações - vulgo Cidade dos Ossos e Academia de Vampiros -, fiquei com medo do que poderiam fazer com a história... mas, graças à Green!, eles fizeram um trabalho maravilhoso. Acho que quem leu vai amar o filme e quem não leu vai se apaixonar por ele, porque ao contrário do que muitos pensam, o filme tem sim suas partes de humor (eu particularmente ri em muitas partes do filme) e os atores, mesmo que ainda sem muita experiência, são excelentes - uma menção especial ao Ansel Elgort que muita gente (inclusive eu) não botou muita fé para fazer o Gus mas que mostrou-se perfeito para o papel no filme. Nota: 5/5



Universidade Monstro (2013)

Sempre fico com medo de continuações de animação ainda mais as de filmes que eu adoro - como é o caso de Monstros S.A. - porque é muito difícil eles manterem o mesmo nível do primeiro. Universidade Monstro superou minhas expectativas e acho que gostei ainda mais dele do que de Monstros S.A.! Fiquei morrendo de amor pelo Mike Wazowski criança e que fofura é ele de aparelho, gente! (risos) Sempre gostei muito dos traços e as muitas cores da Pixar e achei magnífica! Acho que a mensagem do filme é linda e, enfim, super indico para os que cresceram assistindo o filme originário e também para a nova geração!  Nota: 4.5/5



The Kings of Summer (2013)

The Kings of Summer é um filme independente e assisti por uma indicação de um amigo. Vi o trailer e achei bem bacana porque que criança nunca quis construir sua própria casa e morar no meio da floresta? (risos) O filme fala muito sobre amizade, conflitos familiares e também sobre a falta de conversa entre pais e filhos e quão pouco se conhecem - achei a proposta bacana mas faltou algo no filme que fizesse me prender mais a história. O começo do filme flui bem mas da metade pra frente se torna um pouco cansativo; a fotografia é magnífica e as atuações são realmente boas - um salve para Moisés Arias (galera que assistia Disney alguns anos atrás sabe de quem estou falando!) que deu vida à Biaggio, meu personagem favorito do filme! Nota: 3/5



OBS: dei minhas notas fazendo uma comparação somente entre os filmes desse post! Pode ser que, se fossem outros, eles teriam notas completamente diferentes (:

5 de jul de 2014

Uma música por dia - Week #10

Primeira semana de férias e começo de julho! O ano tá passando muito rápido ou é impressão minha? O: Deixa eu parar de enrolar e vamos para as músicas que fizeram a trilha da semana!

4 de jul de 2014

Wishlist: Drummond, Leminski e Neruda

Já faz algum tempo que quero me aventurar pelo mundo da poesia mas, até o momento, não tenho nenhum livro do gênero (com excessão dos que li para a escola) e resolvi fazer uma lista com algumas obras que estou louca para adquirir.

Alguma Poesia, Carlos Drummond de Andrade (Companhia das Letras)

Publicado em 1930, numa pequena tiragem não comercial de apenas 500 exemplares — sob os auspícios de uma certa edições Pindorama, pura ficção jocosa —, Alguma poesia assinala a estreia de um autor que, então com 28 anos, iria revolucionar a poesia de língua portuguesa no século xx. Não é para menos. Com peças como “Poema de sete faces”, “Infância”, “No meio do caminho”, “O sobrevivente”, entre tantos outros textos decisivos, o livro demonstra já a enorme maturidade do jovem Drummond, ainda estabelecido em Belo Horizonte.
Dois anos antes, Drummond havia causado escândalo entre as hostes literárias ao publicar, na Revista de Antropofagia, o poema “No meio do caminho”. Era o início da carreira de escândalo do poema, reconstruída na década de 1960 pelo próprio autor em um livro que reuniria os ataques, as paródias e as contendas relacionadas ao poema.
Mas para além da polêmica, Alguma poesia já apresenta aquilo de melhor que Carlos Drummond de Andrade iria oferecer ao longo de quase 60 anos de uma das carreiras mais fecundas da literatura moderna: o lirismo, o humor, o tom meditativo e irônico, a observação desencantada dos fatos, o sensualismo, a reflexão aguda sobre o amor e a morte.
Contando com um posfácio do poeta e crítico Eucanaã Ferraz, um dos grandes intérpretes da obra drummondiana nos tempos atuais, esta edição de Alguma poesia, com texto estabelecido e caderno de imagens, é uma nova — e extraordinária — oportunidade para o leitor brasileiro entrar em contato com um de seus grandes autores. E é uma promessa de reencontro para todos aqueles que desejam ler alguns dos mais emblemáticos poetas da nossa literatura.
Fiquei em dúvida entre Alguma Poesia, A Rosa do Povo e Antologia Poética então meio que foi aleatório a escolha! (risos) Acho que não preciso dizer muito sobre o porque de eu querer esse livro, né? Depois de tantas aulas de Literatura, indicações de professores e após a leitura de Sentimento do Mundo; eu simplesmente preciso ler mais Drummond!

Toda Poesia, Paulo Leminski (Companhia das Letras)

Paulo Leminski foi corajoso o bastante para se equilibrar entre duas enormes construções que rivalizavam na década de 1970, quando publicava seus primeiros versos: a poesia concreta, de feição mais erudita e superinformada, e a lírica que florescia entre os jovens de vinte e poucos anos da chamada "geração mimeógrafo". Ao conciliar a rigidez da construção formal e o mais genuíno coloquialismo, o autor praticou ao longo de sua vida um jogo de gato e rato com leitores e críticos. Se por um lado tinha pleno conhecimento do que se produzira de melhor na poesia - do Ocidente e do Oriente -, por outro parecia comprazer--se em mostrar um "à vontade" que não raro beirava o improviso, dando um nó na cabeça dos mais conservadores. Pura artimanha de um poeta consciente e dotado das melhores ferramentas para escrever versos. Entre sua estreia na poesia, em 1976, e sua morte, em 1989, a poucos meses de completar 45 anos, Leminski iria ocupar uma zona fronteiriça única na poesia contemporânea brasileira, pela qual transitariam, de forma legítima ou como contrabando, o erudito e o pop, o ultraconcentrado e a matéria mais prosaica. Não à toa, um dos títulos mais felizes de sua bibliografia é Caprichos & relaxos: uma fórmula e um programa poético encapsulados com maestria. Este volume percorre, pela primeira vez, a trajetória poética completa do autor curitibano, mestre do verso lapidar e da astúcia. Livros hoje clássicos como Distraídos venceremos e La vie en close, além de raridades como Quarenta clics em Curitiba e versos já fora de catálogo estão agora novamente à disposição dos leitores, com inédito apuro editorial.
Lembro a primeira vez que vi esse livro e fiquei louca para comprar só por a capa ser meio fluorescente! (risos) Nunca tinha ouvido falar sobre Paulo Leminski até ano passado (acredito que a maioria das pessoas também) e só escuto elogios para esse livro! Um professor já havia o indicado ano passado e esse ano, uma professora mostrou alguns poemas nas aulas e fiquei bastante curiosa para ler mais coisas dele.

Cem Sonetos de Amor, Pablo Neruda (L&PM)

Este livro é um dos legados mais perfeitos do grande poeta chileno Pablo Neruda, prêmio Nobel e um dos mais importantes e influentes poetas do século. O amor é o tema central de sua obra e a obra foi dedicada a Matilde Urrutia, sua última musa, e é dividido em quatro partes - manhã, meio-dia, tarde e noite.
Esse não foi indicação de professor! Depois que li Anna e o Beijo Francês (Novo Conceito) de Stephanie Perkins fiquei morrendo de vontade de ter um exemplar que possua o soneto A Dança em casa! Isso pareceu meio maluco mas é verdade (risos).

E você? Tem algum livro de poesia favorito ou que você queira muito ler? Comente!

2 de jul de 2014

[REVIEW] Peter Pan, J.M. Barrie

"Todas as crianças crescem, menos uma.
Um dos mais populares clássicos infantis, Peter Pan é uma história que, como Alice no País das Maravilhas, une gerações, contagiando também adultos com sua energia, imaginação e um enredo que permite diversos níveis de interpretação.
Como pó de fada, há cem anos esse livro transporta os leitores para um mundo mágico, povoado pela família Darling e pelos habitantes da Terra do Nunca - Peter Pan, os meninos perdidos, Sininho, crocodilos, sereias, o Capitão Gancho e seus piratas...
Essa tradução do texto integral da obra de J.M. Barrie transporta crianças e adultos para um mundo mágico, povoado pela família Darling e pelos habitantes da Terra do Nunca - Peter Pan, os meninos perdidos, Sininho, o Capitão Gancho e seus piratas..."

Desde que me entendo por gente, sou apaixonada pelo filme: tanto o da Disney (1953) quanto o da Universal (2003); e não tinha nem ideia que houvesse um livro. Algumas semanas atrás, comecei à assistir Peter + Wendy, websérie que é uma versão atualizada do clássico Peter Pan, e fiquei curiosa para conhecer a história no seu original. Fui procurar se tinha em português e encontrei essa edição de bolso divina da editora Zahar com capa dura e tem um efeito metalizado magnífico! Há também uma edição comentada e com ilustrações da mesma editora que me parece ainda mais bonita quanto essa!
O enredo do filme foi extremamente fiel ao livro mas há alguns detalhes que só encontramos na obra, como por exemplo como as fadas nascem e outros porquês que são vagos no filme. Outro ponto importante é que podemos conhecer muito mais profundamente os personagens do livro que possuem personalidades bem construídas assim como sua importância para a história. Também gostei muito da maneira como o autor escolheu contar: Barrie participa ativamente da narrativa dando suas opiniões e conversando com o leitor. Acho interessante esse estilo e adoraria encontrar mais escritores que o fizessem também.
Peter Pan é sim um livro feito para crianças mas acho que essa história facinante tem sim que ser lida por pessoas de todas as idades que estão dispostas à se deliciar com toda a fantasia que o enredo proporciona e, os mais velhos, enxergar a crítica feita à sociedade da época. A leitura é leve e bem curta - não chega nem a 300 páginas! - e pode ser lida em apenas um dia. Ou seja: não à desculpas para não voar.
Peter Pan é livro do autor J.M. Barrie e é publicado aqui no Brasil pela Zahar. Adicione o livro no skoob.

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©